segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Franguinho

Quis se vingar, mas recuou. Palavras nas mãos.
Pensa, pesa. Inventou na hora que a vingança também pode ser um ato de amor. E ele ama.
Lembrou-se de tudo.
TUDO.
Por isso o movimento de agora. As mãos descem.
Bisturis. Frases.
O corte deixa a fruta aberta. Ironias do gesto.
Aproxima bem a boca da polpa amarela. Covarde. Humanamente covarde.
_ FRANGUINHO! SEJA HOMEM E SE ASSUMA!

11 comentários:

Anônimo disse...

Talvez ele só seja humanamente...
homem.

Thiago Cascabulho disse...

Homem do tipo masculino, ímpar. Machista do século XX. Melhor seria o homem feminino do Caetano. Ao menos respeitaria o artigo único do mestre: "Só uma coisa fica proibida..."

Thiago Cascabulho disse...

Ah, acabo de me lembrar de outra coisa humanamente COVARDE. Escrever sem assinar...
(e eu sei, na pele, como isso pode fazer mal aos outros - tanto no mundo real quanto no virtual)

Anônimo disse...

Puxa, nunca fui chamada de covarde!E ainda mais em letras garrafais!Não que eu nunca tenha sido... Também não imaginava tanto mal provocado!Serve pedido de perdão?Mais um, né?!
Vc tem razão, Poeta.Toda razão do mundo.
Bj
F. de Mello

Galeano disse...

vai dar o cu seu viadinho
estou com saudades de voces
porra thiago! cade meu livro dos abraços?

Rê Marcelino disse...

"Se a uva é feita de vinho, talvez a gente seja as palavras que contam o que a gente é."
E isso é lindo.

Thiago Cascabulho disse...

Vc tirou isso da onde? Biscoito da sorte? Mensagem de papel de bala? Ah, deve ser daqueles adesivos de colar no carro!...

Pedro, já devolvi seu livro dos abraços! Não me venha com essa! E a nossa caminhada? Confraria nada...

Rê Marcelino disse...

É, vc devolveu o Livro dos Abraços sem ler...Que pena, perdeu uma grande oportunidade de ser mais feliz com tantas palavras lindas e ternas!

Thiago Cascabulho disse...

É verdade, devolvi sem ler tudo. Achei meio brega. Tirando uma ou outra passagem, principalmente aquela que o menino pede ajuda ao pai para ver o mar.

Pena. Esse tempo passou.

Julieta Abiusi disse...

Tb sou totalmente contra escrever sem assinar. Na minha opinião, "secreto" só se for admirador haha.
Liga não Thiago. Sua "fábrica do poema" resiste aos piquetes e panelaços;o)
Aliás sempre lembro de vc quando escuto a Adriana cantando essa (tb).
Beijo e abraço assinado!

Thiago Cascabulho disse...

Valeu Juju! Obrigado por estas e outras palavras. Como vc mesma disse, temos que nos livrar das mediocridades!
E é nisso que penso todo dia.
Beijos